José Luis Carreira nos EUA com os pés no chão!


José Luis é mais um talento brasileiro a emprestar sua arte refinada à editoras estadunidenses, alcançando um vôo que muitos artistas brasileiros dos quadrinhos almejam.
Artistas talentoso, generoso e ao mesmo tempo humilde, José Luis mostra seriedade e coerência sem se deixar ofuscar pelos holofotes de sua fama. Vamos conhecer um pouco mais deste artista gente boa que concedeu esta exclusiva ao nosso site!

1- Ter começado logo de cara substituindo Ed Benes em um título foi uma responsabilidade enorme, mas acredito que também ajudou a você não ter mais medo de nada que veio no caminho heim? (rsrsrs).
JL: Sim, realmente uma grande responsabilidade, não só por ser meu primeiro trabalho profissional para o mercado estadunidense, mas por se tratar de “Liga da Justiça” um título que já vinha sendo encabeçado pelo o grande Ed Benes, um dos maiores talentos brasileiros e que eu tive o prazer de conhecer pessoalmente.

2- Fale um pouco dos títulos pelos quais passou profissionalmente até o momento?
JL: Comecei como já disse em Liga da Justiça, o meu maior desafio, logo depois fiz Titans (Tempeste) virei fã do Garth não o conhecia muito bem. Veio também uma minissérie do Red Tornado e de cara Teen Titans. Fiz outros trabalhos ainda em outras editoras como: Bionic man vs Bionic woman, Vampirela, Warlord of Mars, Seraph, Witchblade/Demon etc.


3- E qual deles mais gostou e por quê?
JL: Sem sombra de dúvidas Liga da Justiça, não só por ser fã, mas porque estão incluídos nesta equipe os meus heróis preferidos, inclusive Superman, que era o meu maior objetivo.                       Foi realmente sonho poder desenhar o “S” do seu peito e fazer parte da história desse grande personagem.

4- Sob o ponto de vista artístico, o trabalho para editoras como Marvel e DC há uma série de regras e metodologias que o artista deve seguir. Você sente vontade de fazer algo que te dê mais liberdade criativa, algo autoral?
JL: Acho que todo desenhista que trabalha ativamente ou não com quadrinhos, sonha com um trabalho autoral. Eu tenho muitos projetos engavetados, sonhando em um dia poder publicá-los, porém o que virá ainda este ano de 2015 será meu novo Artbook fazendo uma homenagem aos desenhos animados que marcaram a geração passada.

         

5- Dos artistas brasileiros de quadrinhos, quais os que mais admira e são influência para voce?
JL: Sem dúvida Ivan Reis, ele é inspiração pra qualquer quadrinista no Brasil hoje, masnão poderia deixar de citar Ed Benes, que foi quem me ajudou a ingressar no mercado estadunidense. Posso citar ainda Eddy Barrows, Mike Deodato, Joe Bennet, Roger Cruz etc.

6- Seu estilo particularmente é bem detalhista e rico, como é este processo de trabalho?
JL: Às vezes muito chato, tenho vontade de assinar o desenho e dizer: “Pronto terminei”, mas sempre tem um lugarzinho sobrando que acaba me levando de volta à prancheta.  Não são poucas as vezes que já fiz até o scan da arte, daí dou uma boa olhada e volto a mexer nela, acrescentado mais detalhes.

7- Além do trabalho para os EUA você também tem uma grande legião de fãs nas mídias sociais o que da à você condições de também fazer as Commission Arts; (para quem não sabe são as artes encomendadas e exclusivas que os fãs compram direto do artista), como é o processo destas artes?
JL: Acho muito bacana fazer Commissions, principalmente quando o cliente tem uma mente muito
fértil e cria uma cena mirabolante (risos).  Eu recebo os pedidos através do meu agente, que me representa nos EUA com o site www.comiconart.com. Faço na maioria das vezes uns três layouts para o cliente escolher, depois de aprovado envio o original.

8- Voce também lançou a um tempo atrás seu Artbook, fale um pouco dele!
JL: Meu primeiro Artbook foi uma grande experiência, e me ajudou a divulgar meu trabalho para todo o Brasil, pois ele é edição especial para colecionadores com tiragem única de gráfica, e o segundo Artbook também será assim.

9- E seus trabalhos atuais? Fale um pouco deles.
JL: Começando o ano com um novo trabalho no qual ainda não posso divulgar, mas será um grande desafio para mim, em breve divulgarei algumas capas, pois estou começando com as capas dos títulos principais desta editora. Aguardem!

10- José Luís a gente observa bastante uma legião de aspirantes a desenhista para o mercado americano, muita gente que quer "atalhos" para chegar lá, e isso é um processo de trabalho árduo não é mesmo? Quer dizer, muita gente desenha bem, mas não sabe que a carreira tem um lado Administrativo, que as pessoas ignoram e acham que é só pegar um roteiro e sair desenhando. Fale um pouco desse lado profissional.
JL: Acredito que se você é um bom desenhista então deve procurar um Studio para representá-lo, pois acho muito difícil cuidar da própria carreira. Eu demorei a entrar para o mercado devido a não ter ideia por onde começar. Sabia desenhar, mas não sabia quem procurar, daí veio a ideia de visitar um Studio e apresentar meu trabalho.  Procurando, descobri o Studio de Ed Benes, que era o mais próximo e que eu também sonhava em conhecê-lo pessoalmente, juntei as melhores artes e embarquei por mais de oito horas de viagem. Bom, pra resumir, fui muito bem recebido e logo de cara as portas de trabalhos se escancaram e aqui estou eu! (risos).


11- E o José Luís fora do trabalho, o que faz para se divertir?
JL: Vou à igreja com frequência, leio muitos livros (amo teologia), assisto séries de TV com minha esposa quase todas as noites e me aventuro no PS3 em jogos de ação, guerra, raciocínio etc.

12- Pra quem quiser acompanhar teus trabalhos quais teus espaços na internet?
JL: Acho que sem dúvidas o Facebook hoje é o melhor portfólio de um artista. Junto dele também indico o site Comiconart, e o Deviantart, onde posto com mais frequência meu trabalhos.

13- Jose Luís, nós agradecemos demais sua atenção conosco, o Blog do Ilustrador sempre estará de portas abertas para você! 
JL: Eu que agradeço pela belíssima entrevista e desejo ao Blog do Ilustrador, muito sucesso, e que continue abrindo cada vez mais espaço para os artistas compartilharem de suas lutas e conquistas. Abração!

2 comentários:

  1. Que coisa linda! Obrigada pela entrevista, isso realmente inspira muitos artistas.

    ResponderExcluir
  2. Parabens, José! É um grande talento, que apenas não é maior que a pessoa!!! Grande abraço.
    Alex D'ates.

    ResponderExcluir