Dôssie HQ : Elric : Navegante dos Mares do Destino - A obra de Moorcock nos quadrinhos!



A exemplo da magnífica saga "Passageiros dos Ventos" que resgatamos para vocês AQUI! no S.C.A.N.S, trazemos desta vez outra "Tour de Force" como dizem os franceses, a saga de Elric de Melniboné, "Navegante dos Mares do Destino".

Uma obra seminal, trazendo referências inteligentes e uma construção com elementos que anos mais tarde seriam usados como temáticas polêmicas nas hq´s, sendo assim um trabalho pioneiro. Apesar de passar quase despercebido no Brasil é essencial citar Elric de Moorcock como obra de genialidade inconteste e influenciadora de uma vasta gama de obras nos quadrinhos, literatura e afins. Aqui, em mais um trabalho de pesquisa buscamos trazer a você as facetas deste rico universo, buscando mostrar e resgatar a importância e  riqueza da obra do herói Albino.

Sendo uma adaptação do romance "Sailor on the Seas of Fate", de Michael Moorcock, a mini-série Navegante nos Mares do Destino, magistralmente adaptada aos quadrinhos pelo mestre Roy Thomas, espelha uma busca desesperada de conhecimento, com o qual Elric de Menilboné pretende restaurar a glória de Imrrir e encontrar seu caminho mais íntimo.
Para tal feito Elric se juntará a outros valorosos guerreiros, juntos eles são os Quatro que são Um. E sua missão é impedir que dois irmãos feiticeiros roubem a energia primordial de nosso mundo!
Aqui vale citar além do trabalho irrepreencível de Thomas as contribuições fenomenais dos mestres Michael T. Gilbert cujo traço imprimiu identidade ao trabalho sem anaboliza-lo ao estilo Marvel e as cores maravilhosas de George Freeman cuja palheta fugindo ao tradicional trabalho dos comics à época mostrava detalhes lindos em aquarela o que enriqueceu o trabalho de forma marcante e definitiva!


          

           

   

Uma análise sobre a obra original:
Elric é o último imperador da estagnada civilização da ilha de Melniboné . Fisicamente fraco e frágil, o albino Elric deve tomar drogas (ervas especiais) para manter sua saúde. Diferentemente da maioria dos outros de sua raça, Elric tem uma consciência; ele vê a decadência de sua cultura, que já dominou o mundo conhecido, e se preocupa com o aumento dos Reinos Jovens, povoada por seres humanos (os Melnibonéanos não se consideram como tais) e a ameaça que representam para o seu império.
Por causa de sua introspectiva auto-aversão de tradições Melnibonéanas, seus súditos o vêem como alguém estranho e incompreensível, e seu primo Yyrkoon (o próximo na linha de sucessão, como Elric não tem herdeiros) interpreta o seu comportamento como fraqueza e traça a morte de Elric.

Além de sua habilidade com ervas, Elric é um consumado feiticeiro e Summoner* . Como imperador de Melniboné, Elric é capaz de pedir ajuda sobre o patrono tradicional dos imperadores Melnibone, Arioch , um Senhor do Caos e Duque do Inferno. A partir da primeira história, Elric usa pactos antigos e acordos com não só Arioch mas vários outros seres de alguns deuses, alguns demônios para ajudá-lo a realizar suas tarefas.


A espada de Elric,  "Stormbringer" serve como seu maior patrimônio e maior desvantagem. A espada confere a Elric, força, saúde e aptidão de combate, permitindo-lhe acabar com sua dependência de drogas, mas ele deve ser alimentado pelas almas dos seres inteligentes. No final, a lâmina afasta todos de perto de Elric e eventualmente própria alma também é dominada. A maioria das histórias de Moorcock sobre Elric apresentam essa relação com Stormbringer, e como ela, apesar das melhores intenções de Elric, traz desgraça a tudo o que ele tem de mais caro.

Moorcock reconhece o trabalho de Bertolt Brecht , em particular dos Três Vinténs Novel e A Ópera dos Três Vinténs , como "uma de suas principais influências" sobre a sequência inicial Elric; ele faz menção a "Elric" de 1972 do dramaturgo Brecht. Na mesma dedicação, ele citou de Poul Anderson "Três Corações e Três leões" e de Fletcher Pratt, a obra "The Well of the Unicorn" como textos semelhantemente influentes. Moorcock se referiu a Elric como um tipo de "herói condenado", um dos mais antigos estereótipos da literatura, semelhante a esses heróis-vilões como de Mervyn Peake Steerpike na Titus Groan trilogia, Scafloc de Poul Anderson em The Broken Sword, TH Branca Lancelot no The Once and Future Rei, e Zerd de Jane Gaskell em "The Serpent".

A história de Kullervo da mitologia finlandesa contém elementos semelhantes a história de Elric, com uma espada mágica falando e a alienação fatal do herói de sua família.  Além destes Moorcock cita que "A partir de uma idade muito precoce, eu estava lendo lendas nórdicas e todos os livros que pude encontrar sobre histórias nórdicas ".  Moorcock ainda afirma que " uma coisa eu tenho certeza, eu não estava de forma alguma diretamente influenciado pelo Prof. Tolkien.

O Albinismo de Elric aparece influenciado por Monsieur Zenith , um vilão albino do qual Moorcock apreciou o suficiente para influenciá-lo em histórias de multiversos posteriores. Moorcock disse mais tarde, que " Monsieur Zenith: o Albino , o personagem de Anthony Skenes era um enorme influência. Para o resto do personagem, suas ambigüidades em particular, eu me baseei em mim mesmo com a idade que eu tinha quando eu criei Elric, (por volta de 20 anos).


Sobre os Quadrinhos

Elric apareceu pela primeira vez nos quadrinhos em 1972, em Conan, o Bárbaro (14/15), uma aventura em duas partes intitulada "A espada chamada Stormbringer!" e "A Imperatriz verde de Melniboné". A história em quadrinhos foi escrita por Roy Thomas e ilustrado por Barry Windsor-Smith , baseado em uma história traçada por Michael Moorcock e James Cawthorn.

A editora Star Reach  publicou as histórias de Elric no final de 1970. A First comics publicou vários Elric mini-série na década de 1980 também.

Elric também apareceu em uma série de histórias originais publicados pela DC Comics . Helix , uma curta ficção científica e fantasia impressa pela DC, publicou alguns livretos de Michael Moorcock´s Multiverse a partir de 1997. Em 2004, a DC Comics publicou as quatro edições de Elric: Making of a Sorcerer, com arte de Walt Simonson , uma história sobre o treinamento mágico de Elric antes dos acontecimentos do romance Elric.



P. Craig Russell ilustrou para os quadrinhos, adaptações de três novelas de Moorcock: Elric (com Roy Thomas e Michael T. Gilbert ; (Pacific Comics), The City Dreaming e While the Gods Laughling (que representa os primeiros dois terços de Weird of the White Wolf  da Marvel / Epic Comics), e Stormbringer (Dark Horse). O personagem também foi adaptado por Walter Simonson e Frank Brunner , e por George Freeman e outros para a série de longa duração Elric in the Pacífic, que Russel tinha co-criado. (Supostamente tensões entre ele e Thomas foram a razão para a sua partida.)

Adam Warlock , criado pelo artista Jim Starlin , foi influenciado por Elric e transformado em uma versão Marvel comics do herói, com conceitos como os da "Gema que rouba Almas", a menção de Mestre Ordem e Senhor do Caos.
Tom Strong nos nºs 31 e  32, com certeza fazem menção à "The Black Blade of the Barbary Coast partes 1 e 2" , escritos por Moorcock, onde apresentam um pirata albino chamado Captain Zodiac buscando o "Black Blade", um cutelo preto marcado com runas vermelhas. Este apresenta uma recorrência de Elric e Stormbringer, com uma pitada generosa de Monsieur Zenith.

2011 marcou o lançamento de outro quadrinhoo baseado em Elric, "Elric: The Balance Lost" pela BOOM! Studios . A série, escrita por Chris Roberson e desenhada por Francesco Biagini , foi disponibilizada em cópia impressa tradicional e para download digital.


Em 2014, The Ruby Throne , o primeiro volume de uma nova adaptação de quatro volumes de Elric escrito por Julien Blondel e ilustrado por Didier Poli, Jean Bastide, e Robin Recht, foi publicado pela Titan Comics. "Stormbringer", o segundo volume foi publicado em março de 2015, pela mesma equipe e editor. Moorcock afirma que esta é a sua adaptação em quadrinhos favorita de suas histórias com Elric até hoje e elogia as mudanças sutis à história original.

por: Ed Oliver

*Um invocador de espíritos e magias.


Olá!!! Um grande trabalho de pesquisa concorda? Gosta de nosso Blog e nosso trabalho? Contribua com qualquer quantia para nos ajudar a mante-lo e ganhe um brinde especial:


Caso prefira dar sua doação por depósito ou conta corrente, pode faze-lo na conta:
Caixa Econômica Federal - Agência:  4115 - Operação 013 - Conta Poupança: 00020228-0

Nenhum comentário:

Postar um comentário