2ª Bienal Internacional de Grafite Fine Art.




A partir de 22 de janeiro, o MuBE (Museu Brasileiro da Escultura), na zona oeste da capital paulista, recebe a 2ª Bienal Internacional Graffiti Fine Art. Até 24 de fevereiro, participam da exposição mais de 50 artistas --20 deles de São Paulo.

O curador da mostra, Binho Ribeiro, explica que a escolha da capital para hospedar a bienal está ligada à relação da cidade com este tipo de arte. "No momento, São Paulo é considerada a Meca do grafite no mundo", diz Ribeiro.

A bienal teve sua primeira edição em setembro de 2010 e apresentou a história do grafite no Brasil e no mundo.

Segundo o curador da exposição, a cidade transformou-se em uma referência de estilo e destacou-se no cenário internacional pela maneira com a qual a os grafiteiros, a população, o poder público e as empresas privadas se relacionam. "É um tipo de relacionamento que não acontece da mesma forma em outros países do mundo."

Nomes internacionais de destaque estarão presentes no evento como Kongo, ECB, Kress, Daze e Wernz, além dos brasileiros Nunca, Speto, Finok, DMS e Minhau --que vai construir uma instalação de um gato em madeira com cerca de quatro metros.

Os artistas nesta edição trarão painéis, instalações, telas, fotografias, pinturas e esculturas, além de intervenções em dois carros. "O grafite ocupa hoje um espaço extremamente eclético dentro do mercado, com muitas maneiras de se trabalhar", afirma Ribeiro.

Binho Ribeiro, ressalta a relevância do grafite no cotidiano do paulistano. "O grafite faz parte da vida de quem mora em São Paulo. É muito difícil uma pessoa que mora aqui não ter se deparado com obras espalhadas pela cidade", diz Ribeiro. "A relação do grafite com a cidade é muito interessante. É um casamento que vem dando muito certo."

2ª Bienal Internacional Graffiti Fine Art. Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) - av. Europa, 218, Jardim Europa, zona oeste, São Paulo, SP. Tel.: 0/xx/11/2594-2601. Ter. a domingo: 10 às 19h. Grátis

Nenhum comentário:

Postar um comentário